quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Paciência... uma virtude

Amooooo

Desconfie sempre





De gente que precisa se desculpar demais...
De gente que sempre tem algo ruim pra dizer...
De gente que sempre tem uma fofoca pra fazer...
E de quem sempre tem alguém pra culpar...


Sorria para quem tem bom humor
Para quem vê a vida com leveza
Para quem não tece imensas teorias a respeito do que é simples
Para quem não mete a mão em cumbuca...rs
Para quem ouve música e canta junto
Para quem tem aquela capacidade deliciosa de rir de si mesmo.

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Criticando a Crítica I


Quem sabe faz
Quem Não sabe...critica.

Não sei quem disse...


E digo mais...

Quem gosta faz
Quem não tem coragem de fazer...critica


Tãooo irritante o tom e a hipocrisia de um bando de mulheres (homens também) que, ou não gostam de trepar, ou atuam diante de amigos e familiares:

O que? Suruba? Chupar buceta, dar o cu, que A B E S U R D O.

Beijar gente desconhecida na boca? Que N O J O

Pessoas sem amor próprio Mulheres que se sujeitam a essa degradação não possuem valores familiares ou religiosos.

Ai, me passa a cumbuca que eu vou vomitar e vai ser agora...


Vamos combinar que na hora que essas lampreias dão de cara com um pau bem grande e duro pela frente, são as primeiras a cair de boca na benga... ou ficam se babando de vontade, siriricando às escondidas.

Depois vem criticar e olhar feio pra quem trepa por que gosta e fala na boa, de cara limpa.


E, como hoje é dia de criticar, aí vem mais:

Não consigo conter o riso ao ouvir certas coisas, começando pelas mocinhas puras que fazem filme pornô por conta da “Alta”(???) grana que recebem, e que, curiosamente, absolutamente nenhuma delas trepa porque gosta e não são putas, puta é a que vira bolsa na esquina...segundo a..., a... putz, como é o nome daquela loira ex Ronaldinha? Ah, não me lembro.


Lá vou eu ver a definição de prostituição no amansa burro Google:

"A prostituição pode ser definida como a troca consciente de favores sexuais por interesses não sentimentais, afetivos ou prazer. Apesar de comumente a prostituição consistir numa relação de troca entre sexo e dinheiro, esta não é uma regra. Pode-se trocar relações sexuais por favorecimento profissional, por bens materiais (incluindo-se o dinheiro), por informação, etc.
"

Ta bom...entendi, aham.

Já os atores, todos (menos o Alexandre Senna, que faz somente homo-passivo, porque não gosta e não sente prazer) filmam porque gostam mesmo é da sacanagem, uma vez que o cachê, entre 300 e 600 reais em média, não é algo assim, digamos, irresistível.


Me irrita o povo falar que não trepa porque gosta.

Ai, como me irrita
.


A maioria dessas pessoas se aproveita daquelas histórias que a gente tanto conhece, de meninas obrigadas a se prostituir pra ter o que comer, tudo sem absolutamente nenhum glamour, vidas tristes, infâncias roubadas, surras, drogas, fugir da polícia, etc.
É essa gente que trepa porque não tem opção.
O resto do povinho F O D E porque gosta da putaria.

E tenho dito.


segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

1 Ano




domingo, 28 de dezembro de 2008

La Vita È Adesso



La vita è adesso,
Nel vecchio albergo
Della terra e ognuno in una
Stanza e in storia di mattini piú legerri e cieli
Smarginati di speranza e di silenzi da ascoltare
E ti sorprenderai a cantare ma,
Non sai perché

La vita è adesso
Nei pomeriggi appena freschi
Che ti viene sonno e le campane
Girano le nuvole e piove
Sui capelli e sopra i tavolini
Dei caffè all'aperto
E ti domandi incerto chi sei tu

Sei tu, sei tu, sei tu,

Sei tu che spingi avanti il cuore, ed il lavoro duro
Si essere uomo e non sapere, cosa sarà il futuro
Sei tu, nel tempo che ci fa più grandi e soli in mezzo al mondo
Con l'ansia di cercare insieme, un bene più profondo

E un altro che ti dia respiro e che si curvi verso te
Con una attesa di volersi di più senza capire cos'è
E tu che mi ricambi gli occhi in questo instante immenso
Sopra il rumore della gente, dimmi se questo ha un senso

La vita è adesso
Nell'aria tenera
Di un dopocena e musi
Di bambini contro i vetri e i prati che si lisciano
Come gattini e stelle che si appicciano ai lampioni millioni
Mentre ti chiederai dove sei tu,

Sei tu, sei tu, sei tu

Sei tu che porterai il tuo amore per cento e mille strade
Perchè non c'è mai fine al viaggio anche se un sogno cade
Sei tu che hai un vento nuovo tra le braccia
Mentre mi vieni incontro
E impanerai che per morire ti basterà un tramonto

In una gioia che fa male di più della malinconia
E in qualunque sera ti troverai non ti buttare via
E non lasciare andare un giorno per ritovar te stesso
Figlio di un cielo così bello perché la vita è adesso

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Coisa mais lindinha